21Agosto2017

Áudio

 

Foi um convite inusitado que deu início ao Ministério de Áudio da Igreja Evangélica Vida. Quando Ener Scherr se aposentou da função de torneiro mecânico, o pastor Valteci Moreira o convidou para assumir os trabalhos de operador de áudio da Igreja. Ele aceitou o desafio, fez cursos de capacitação na área e iniciou o ministério que, aos poucos, foi ganhando estrutura e organização com a chegada de novos membros e equipamentos.

Embora muitas vezes pouco notado, o Ministério de Áudio está presente em praticamente todos os eventos e atividades da igreja, dando suporte às programações que acontecem tanto dentro quanto fora da igreja.

Ener conta que o início não foi fácil, principalmente devido à falta de estrutura e condição financeira de uma igreja que estava nascendo. No início, ele mesmo montava as caixas e cabos que eram utilizados pelo ministério.

O atual líder da equipe, Renato Tecchio, diz ser especialmente marcante saber que muito do que Deus tem para comunicar ao seu povo durante uma celebração ou culto deverá passar pelo processo de amplificação e equalização do som.

“Se você, enquanto operador de áudio, é capaz de proporcionar um som agradável aos ouvidos, no período de louvor, por exemplo, é certo que ele alcançará de forma mais expressiva o coração das pessoas. Em contrapartida, se o som é alto demais ou se não é inteligível, as pessoas muitas vezes tendem a ficar irritadas, e isso pode impedir que haja um bom fluir do culto. Fazer a sonoridade ser agradável é desafiador e exige conhecimento técnico, experiência e dependência de Deus”, confessa Renato.

Os operadores de áudio da IEV são voluntários, se alternam por meio de escalas a fim de dar assistência às atividades da igreja e se reúnem uma vez por mês para encontros de oração e definições administrativas. Uma vez ao ano são abertas inscrições para o ingresso no período de treinamento realizado pela liderança do Ministério.

São três meses de curso teórico e mais três de prática. A partir daí, os candidatos são avaliados e integrados ou não ao ministério. Renato destaca que é desejável que o candidato goste de música, tenha conhecimento básico de informática e bastante disposição para aprender e, especialmente, se entregar à função.

“Quando estamos na atuação da operação do áudio é verdadeiramente uma entrega, porque temos que estar atentos a todo instante. Então abrimos mãos do que poderia ser o nosso momento com Deus em favor do momento do outro com Deus. Muitas vezes não é possível desfrutar de um período de louvor ou da pregação porque temos que estar atentos ao trabalho a todo instante”, afirma o líder do ministério.